O FAPAS (Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens), com apoio da QUERCUS (Associação Nacional de Conservação da Natureza), do GEOTA (Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente), da LPN (Liga para a Protecção da Natureza) do Movimento Salvem a ROM, e da Associação Solidarity Soul, promove no próximo Sábado, 26 de Janeiro de 2019, pelas 15h00, uma visita à Reserva Ornitológica de Mindelo (Vila do Conde) que tem como objetivo mostrar os erros ambientais que ali estão a ser cometidos pelo Município de Vila do Conde, no âmbito de uma candidatura aos fundos comunitários, através do “NORTE 2020”.

O alargamento exagerado e desnecessário dos antigos caminhos rurais, as alterações à morfologia do terreno, com alteração dos lençóis freáticos, são alguns dos atentados à Reserva Ornitológica, que demonstram a falta de orientação técnica e científica da referida candidatura.

A obra em curso vai prejudicar seriamente as populações de anfíbios, com grande valor ecológico, divulgadas e enaltecidas na edição do passado mês de Agosto da revista National Geographic. Irá prejudicar, igualmente, as populações de aves, em particular as aves migratórias, a razão principal que levou à criação da primeira área protegida de Portugal.

O corte de uma quantas acácias infestantes e a plantação de umas dezenas de árvores autóctones não compensam, de modo nenhum, o mal feito.

Proposta há 61 anos pelo Professor Santos Júnior, da Universidade do Porto, para estudar e proteger as aves, a Reserva Ornitológica do Mindelo nunca teve dos poderes públicos a atenção que merecia, dada a sua importância para a biodiversidade, defesa da paisagem litoral e desenvolvimento local.

Desde extração de areias, à deposição de lixo, à ocupação com habitações de férias, tudo aconteceu na Reserva Ornitológica no último meio século, e continua a acontecer.

Apesar de tudo sobreviveu uma pequena área central que manteve, no essencial, as suas características. Agora, com o apoio dos fundos comunitários, está a ser brutalmente agredida, com o alargamento e abertura de novos caminhos, absolutamente desnecessários, que vão permitir e incentivar a entrada de viaturas, nomeadamente viaturas todo o terreno, em áreas até então apenas frequentadas pelos agricultores locais e alguns amantes da natureza.

Não somos contra uma maior visitação da Reserva, mas o que está a ser feito, por retirar valor ao local, não promove a sua atratividade para quem gosta de passear na natureza ou de observar e fotografar animais ou plantas.

O FAPAS (Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens), a QUERCUS (Associação Nacional de Conservação da Natureza), o GEOTA (Grupo de Estudos de Ordenamento do Território e Ambiente), a LPN (Liga para a Protecção da Natureza), o Movimento Salvem a ROM, e a Associação Solidarity Soul) apelam à Câmara Municipal de Vila do Conde para que reconheça os erros cometidos e suspenda de imediato a obra em curso até que um novo programa de intervenção na Reserva seja elaborado e tornado público.

Apelam, também, ao Ministro do Ambiente para que mande apurar responsabilidades e, concretamente, indague com base em que pareceres foi possível o NORTE 2020 aprovar a obra em curso (ver sumário abaixo), cujo projeto, se existe, não foi publicamente divulgado.

O início da visita do próximo Sábado será às 15h00, no parque de estacionamento da praia de Mindelo, e aconselha-se o uso de botas.

Para mais informações, contactar: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. ou Nuno Gomes Oliveira (917888272)

________________________________________

“NATURCONDE – REABILITAÇÃO, PROTEÇÃO, CONSERVAÇÃO E VALORIZAÇÃO DA PAISAGEM PROTEGIDA REGIONAL DO LITORAL DE VILA DO CONDE E ROM (PPRLVCROM)”

NORTE-04-2114-FEDER-000373

Objetivo principal| Património Natural e Cultural

Entidade beneficiária |Município de Vila do Conde

Data de aprovação | 30-03-2017

Data de início | 01-02-2016

Data de conclusão | 01-08-2018

Custo total elegível |327.697,92 EUR

Apoio financeiro da União Europeia | FEDER – 278.543,23 EUR

“O Município de Vila do Conde apresentou uma candidatura ao Programa Operacional Regional do Norte – Norte 2020, no âmbito do Património Natural, designado de “Naturconde – Reabilitação, Proteção, Conservação e Valorização da Paisagem Protegida Regional do Litoral de Vila do Conde e ROM (Reserva Ornitológica de Mindelo)”.

Com um investimento elegível de 327.697,92€, e uma comparticipação comunitária de 85%, é de referir que o Norte 2020 valorizou o facto do projeto promover a valorização do património natural no contexto de estratégias regionais distintivas de desenvolvimento turístico. O projeto prevê medidas de proteção e conservação da Natureza, a requalificação da rede de trilhos e a instalação de estruturas de apoio à visitação e fruição da Paisagem Protegida, objetivando-se, com isso, criar bases para o desenvolvimento aplicado da conservação da natureza à escala local/regional, através do envolvimento das populações e da sua participação como novos agentes na conservação da biodiversidade.

Trata-se de mais um importante passo para a valorização da Paisagem Protegida Regional do Litoral de Vila do Conde e Reserva Ornitológica de Mindelo, em paralelo com a divulgação de Vila do Conde como um destino preferencial para o turismo de natureza e ecoturismo.” (FONTE: site da Câmara Municipal de Vila do Conde).

Anexa-se o Comunicado de Imprensa