O simples bom senso indica que esta actividade nem sequer deveria ser promovida nas proximidades da reserva, pelo impacto negativo que nela pode exercer. Uma adequada análise científica facilmente demonstraria este aspecto, mas não foi efectuada pelos promotores.

A prática de actividades desportivas na RNLED é proibida pelo seu regulamento. Mesmo que não o fosse, este tipo de actividade, pelo pisoteio da praia e dunas por centenas de participantes, bem como pela concentração de muitas pessoas, ultrapassa em muito a capacidade de carga desta pequena reserva natural e dos seus ecossistemas. Mesmo decorrendo na sua proximidade, os efeitos negativos não são negligenciáveis.

Pior ainda, a corrida e marcha percorrerá a área de nidificação, alimentação e abrigo de uma espécie em situação crítica, o borrelho-de-coleira-interrompida, que está em plena época de nidificação. Promoverá, ainda, o pisoteio da vegetação dunar (dentro e fora da reserva) fragilizando o cordão dunar do Cabedelo e potenciando a sua erosão.

Esta iniciativa demonstra claramente a ausência de respeito por esta área protegida, integrada na Rede Nacional de Áreas Protegidas, e a única existente no Grande Porto.

Desrespeito que parte da organização mas também da Câmara Municipal de Vila Nova de Gaia, entidade gestora da reserva, e da empresa Águas de Gaia, que apoia a iniciativa.

Poucos dias depois das declarações do Senhor Ministro do Ambiente, que defendeu a necessidade de valorização das áreas protegidas, assistimos à sua degradação.

Se os promotores não alterarem o percurso, apelamos aos inscritos para que se recusem a invadir a RNLED e às autoridades para que travem essa invasão, por ser ilegal.

Gaia, 14 de junho 2017