LISTA A CANDIDATA AO MANDATO 2019/2021

 

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL

Presidente: José Pissarra

Vogal: Álvaro Reis

Vogal: Luzia Sousa

 

CONSELHO FISCAL

Presidente: Maria do Céu Oliveira

Vogal: Luís Rodrigues

Vogal: Luísa Marques

 

DIREÇÃO

Presidente da Direção: Nuno Gomes Oliveira

Vice-presidente: Miguel Dantas da Gama

Vice-presidente: Lucília Guedes

Tesoureiro: Emília Araújo

Secretário: Serafim Riem

Vogal: Jorge Pedro Sousa

Vogal: José Alberto Gonçalves

Vogal: Carlos Pereira da Cruz

Vogal: Ana Sofia Vaz

Suplentes:

Vítor Seco

Gabriel Moreira

Jorge Moreira

 

PLANO DE ATIVIDADES 2019/2021

 

A Lista A, concorrente às eleições de Corpos Gerentes do FAPAS (Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens), a decorrerem em 16 de março de 2019, apresenta o seguinte Plano de Atividades. Para os dois anos do mandato:

CONSERVAÇÃO DA NATUREZA

Na área da conservação da natureza será dada prioridade às seguintes intervenções:

  1. Aceitação da doação da Quinta do Chão de Carvalhos, em Vila Nova de Gaia, comprometendo-se Nuno Gomes Oliveira a promover a escritura de doação no prazo de 45 dias;
  2. Apresentação de uma candidatura à 4ª chamada do Interreg para Criação do Centro de Ecológico do Vale do Febros, na Quinta de Chão de Carvalhos;
  3. Defesa da Ria de Aveiro;
  4. Defesa da Reserva Ornitológica do Mindelo;
  5. Acompanhamento do processo de criação do Parque Natural das Serras do Porto;
  6. Acompanhamento da gestão de todas as áreas protegidas;
  7. Acompanhamento do processo do novo aeroporto de Lisboa;
  8. Campanha pela Rola-brava e por outras espécies em declínio;
  9. Avaliação da situação dos três terrenos propriedade do FAPAS e eventual alienação do terreno da Serra Amarela (Ponte da Barca) por não ter interesse para a conservação;
  10. Criação do Abrigo de Fauna da Beirã, em cooperação com a Infraestruturas de Portugal, IP;

 

FORMAÇÃO E EDUCAÇÃO AMBIENTAL

Prosseguirá a atividade do Centro de Formação;

  1. Oferta regular de ações de formação de professores, acreditadas pelo Conselho Científico-Pedagógico da Formação Contínua;
  2. Organização das XXI Jornadas sobre Conservação da Natureza e Educação Ambiental;
  3. Visitas guiadas a área de interesse natural;
  4. Apoio a projetos escolares, nomeadamente ações no terreno;

No âmbito da educação ambiental serão desenvolvidas, ainda, as seguintes ações:

  1. Curso de introdução à ornitologia;
  2. Curso de introdução às áreas naturais de região do Porto;
  3. Visitas bimestrais a áreas de interesse natural.
  4. Organização de um arquivo fotográfico da associação e cursos de introdução à fotografia;
  5. Criação de uma bolsa de voluntariado jovem com vista à renovação da associação;
  6. Revitalizar a área editorial do FAPAS;
  7. Comemoração de dias comemorativo de carácter ambiental.

 

COOPERAÇÃO COM OUTRAS ENTIDADES

Continuará e será incentivada a cooperação com todas as associações de defesa do ambiente, particularmente através das seguintes formas:

  1. Elaboração, em colaboração com outras associações, de um conjunto de medidas fundamentais para a conservação da natureza;
  2. Participação na CPADA (Confederação Portuguesa das Associações de Defesa do Ambiente);
  3. Participação na Coligação C6;
  4. Colaboração com a Associação Transumância e Natureza, para gestão conjunta de um terreno do FAPAS;
  5. Colaboração com a QUERCUS – Associação Nacional de Conservação da Natureza, para gestão conjunta da micro reserva de orquídeas de Cumes (SIC Sicó/Alvaiázere) e do polo de nidificação de peneireiros de S. Vicente (Elvas).

 

REPRESENTAÇÕES

Manter e incentivar a representação do FAPAS em órgãos consultivos e outros; atualmente há as seguintes representações:

  1. Conselho Estratégico do Parque Nacional da Peneda-Gerês: Miguel Dantas da Gama;
  2. Conselho Municipal de Ambiente do Porto: Nuno Gomes Oliveira;
  3. Conselho Municipal de Ambiente de V. N. de Gaia: Lucília Guedes;
  4. Comissão de Acompanhamento Ambiental do Sabor: a designar;
  5. Conselho Estratégico da Reserva Natural das Dunas de S. Jacinto: Álvaro Reis (efetivo) e Lucília Guedes (suplente);
  6. Conselho Consultivo do Parque Natural Regional do Vale do Tua (PNRVT): a designar;
  7. Plataforma Sabor Livre: a designar.

 

ÁREA ASSOCIATIVA E FINANCEIRA

Na área associativa serão desenvolvidas as seguintes ações principais:

  1. Avaliação da possibilidade e conveniência de mudança da sede para a Quinta de Chão de Carvalhos (Vila Nova de Gaia) e eventual alienação de uma, ou das duas salas da atual sede;
  2. Continuação da atualização da base de dados de sócios face às recentes alterações estatutárias e ao Regulamento Geral de Proteção da Dados;
  3. Reinicio do processo de declaração da Utilidade Pública;
  4. Atualização do site do FAPAS e renovação do parque informático;
  5. Venda do Jeep Land Rover, por estar velho e ter elevados custos de manutenção, e aquisição de uma viatura ligeira;
  6. Integração do NPEPVS (Núcleo Português de Estudo e Protecção da Vida Selvagem) e do seu património no FAPAS;
  7. Arrumação da atual sede e classificação da documentação, quer digital, quer em papel;
  8. Cumprimento do Registo Central de Beneficiário (Portaria nº 223/2018) e rever a inscrição no FCPC (Ficheiro Central de Pessoas Coletivas);
  9. Organização dos Conselhos de Honra e de Curadores, previstos na alteração estututária;

Na área financeira há que procurar novos recursos, sendo objetivos principais:

  1. Dinamizar a cobrança de quotas junto dos sócios efetivos;
  2. Dinamizar a venda de publicações do FAPAS;
  3. Apelar ao mecenato;
  4. Apresentar candidaturas a fundos nacionais e comunitários, nomeadamente ao Fundo Ambiental e ao Interreg.